Renan reconhece que suplentes derrotaram proposta da agenda positiva.

10/07/2013 16:52

Renan Calheiros conversa com senadores em plenário da Casa
Foto: Ailton de Freitas / O Globo

Renan Calheiros conversa com senadores em plenário da CasaAILTON DE FREITAS 

 

BRASÍLIA - O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) , minimizou no início da tarde desta quarta-feira a rejeição da proposta para reduzir o número de suplentes de senador. Segundo ele, a Casa poderá examinar outras Propostas de Emendas Constitucionais (PECs) que tratam do tema. No entanto, ele reconheceu que os votos dos suplentes dificultaram a aprovação da proposta.

- Qualquer emenda constitucional para ser aprovada precisa no Senado de 49 votos. Como o Senado é composto por alguns suplentes, isso dificulta numericamente e politicamente a equação. Mas nós vamos ter tempo de dar essa resposta (à população) - disse o parlamentar.

Na contramão da “agenda positiva” proposta por Renan após as manifestações populares, o Senado derrubou a proposta. Somente 46 senadores votaram favoravelmente à medida. Para aprovar uma PEC no Senado, são necessários 49 votos a favor. Dos 17 votos contra, oito foram de suplentes . A única abstenção também foi de um suplente.

O texto rejeitado determinava ainda que, em caso de afastamento definitivo do senador, seu suplente assumiria a vaga apenas temporariamente, até que, nas próximas eleições, um novo senador fosse eleito para a cadeira. Se a vaga ficasse aberta a menos de 120 dias do próximo pleito, seria preciso aguardar o seguinte para a eleição do novo senador.



Jornal Folha do Rio.