'Quem paga o pato é o PT', diz Lula sobre André Vargas.

09/04/2014 11:39
Lula diz que Vargas não pode deixar ‘o PT pagar o pato’  (Foto: Reprodução )O ex-presidente Lula durante entrevista a blogueiros
transmitida pela internet.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva comentou em entrevista a blogueiros transmitida pela internet na manhã desta terça-feira (8) as denúncias de envolvimento do deputado André Vargas (PT-PR) com o doleiro Alberto Youssef, preso pela Polícia Federal. Para o ex-presidente, Vargas tem de "convencer a sociedade" porque do contrário, segundo afirmou, "quem paga o pato" pelas denúncias é o PT.

Nesta segunda (7), Vargas, que é vice-presidente da Câmara, pediu afastamento de 60 dias do mandato. Reportagem da "Folha de S.Paulo" na última semana afirmou que ele viajou em avião emprestado por Youssef. Além disso, a edição desta semana da revista "Veja" publicou reportagem que mostra mensagens trocadas entre Vargas e Youssef, que, segundo a revista, tratam de contrato de empresa de fachada com o Ministério da Saúde.

“Espero que ele consiga convencer a sociedade e explicar que não tem nada além de uma viagem de avião, porque, no final, quem paga o pato é o PT. Torço que não seja nada além de uma viagem, o que já é um erro”, afirmou o ex-presidente.


“Minha candidata é a Dilma Rousseff. Se vocês puderem contribuir para acabar com essa boataria toda, vocês estarão contribuindo para a democracia no Brasil”, afirmou o ex-presidente. Em seguida, disse que já cumpriu a sua tarefa e que Dilma é “disparadamente” a melhor pessoa para o cargo.

Dilma
Logo no início da conversa com os blogueiros, Lula afirmou que queria deixar claro que não é candidato na disputa pela Presidência da República em 2014 e que sua candidata é a presidente Dilma Rousseff.

Eduardo Campos
Ao referir-se a Eduardo Campos, provável candidato do PSB, Lula disse ter uma “belíssima relação” com o ex-governador de Pernambuco, assim como tinha com seu avô, Miguel Arraes.

“Sou agradecido a tudo que ele contribuiu ao meu governo e ele deve ser muito agradecido a mim pelo o que eu contribuí a Pernambuco e ao Nordeste, e lamentei que ele tenha se afastado da base para ser concorrente da Dilma”, disse.

CPI da Petrobras
Lula comentou também as movimentações da oposição em torno de uma CPI exclusiva para investigar denúncias de irregularidades na Petrobras. O ex-presidente disse que essa ideia é levantada por quem "não tem bandeira, não tem programa e não tem voto".

"Normalmente, em época de eleição, quando a oposição não tem bandeira, não tem programa e não tem voto, a oposição então levanta essa ideia de se fazer uma CPI", afirmou.

Mensalão
Em seguida, Lula disse esperar que o PT tenha "aprendido a lição" da CPI do Mensalão, em referência à CPI que, em 2005, investigou denúncias de pagamentos a parlamentares da base aliada do governo em troca de votos. Para Lula, o PT tem que "ir para cima" no caso da CPI da Petrobras.

"Então, eu acho que nesse aspecto o PT tem que ir para cima. Eu vou contar uma coisa para vocês, de coração. Eu espero que o PT tenha aprendido a lição do que significou a CPI do mensalão. Essa CPI deixou marcas profundas nas entranhas do PT. Se o PT tivesse feito o debate político no momento que tinha que fazer o debate político, e não tivesse ficado esperando uma solução jurídica, possivelmente a história fosse outra", completou.

Joaquim Barbosa
O ex-presidente afirmou durante a entrevista que, se tivesse que tomar a decisão outra vez, voltaria a indicar o ministro Joaquim Barbosa para o Supremo Tribunal Federal. Barbosa foi relator do processo do mensalão, que culminou com a condenação de líderes petistas, como José Dirceu e José Genoino. Foi durante o governo Lula que o ministro foi indicado para o tribunal.

"Se eu fosse presidente, e tivesse as informações que eu tenho do Joaquim, na época, ele seria indicado do mesmo jeito, não teria problema", afirmou.

" 'Você se arrependeu de indicar Barbosa?' Não, porque quando eu indiquei o Barbosa, não tinha o mensalão. Não indiquei o Barbosa para julgar o mensalão. Indiquei o Barbosa porque eu queria que a gente tivesse um advogado negro na Suprema Corte Federal brasileira, e de todos os currículos que eu recebi, o do Barbosa era o melhor. E ele foi indicado", disse Lula.

Lula disse ainda que o comportamento de Barbosa é de "inteira responsabilidade" dele. O presidente criticou a postura de integrantes da Corte, sem especificar quais, e afirmou ter "gente falando demais".

"A Suprema Corte tem que se pronunciar nos autos do processo. Eu vou julgar um de vocês,  eu não posso ficar falando antecipadamente o que eu vou fazer com vocês. Eu tenho que pegar os autos e tomar uma decisão. Alguns, inclusive, mentiram, descaradamente", afirmou.

Eleição no Rio de Janeiro
Lula, que também respondeu perguntas feitas por interneutas pelo Twitter, foi questionado sobre a eventual candidatura do senador Lindbergh Farias ao governo do Rio de Janeiro. O PT no estado rompeu com o PMDB, que pretende lançar o vice-governador, Luiz Fernando Pezão.

"A candidatura é para valer, está colocada e é irreversível", afirmou. Lula disse que Lindbergh, por ser jovem e estar no meio do mandato de senador, "não tem nada a perder". "Ele acha que é o momento dele e eu acho que ele é um candidato bom. Pode tomar cuidado que ele vai crescer e pode até ganhar as eleições."

Lula disse ainda esperar que a disputa seja "civilizada" e que um consiga ajudar o outro, caso um deles não vá para o segundo turno.

 

 

 

 

 

 

Jornal Folha do Rio.