Primeiro treinador enaltece José Aldo: "Se tornou o maior ícone do esporte"

30/03/2017 14:00

Apesar da distância Rio-Manaus, Marcio Pontes fala de relação próxima com dono do cinturão dos penas e diz: "Verdadeiro campeão e difícil surgir outro igual o Junior"


 
Zé Aldo e Márcio Pontes (Foto: Arquivo/Marcio Pontes)José Aldo e Marcio Pontes: amizade de longa data (Foto: Arquivo/Marcio Pontes)

Enquanto a grande maioria dos amantes do MMA viam José Aldo se tornar campeão peso-pena no extinto WEC, depois no UFC, ficando invicto por uma década, Marcio Pontes acompanhava o brilho de um diamante que ajudou a lapidar. Em Manaus, Marcinho foi o primeiro treinador do atual dono do cinturão linear dos pesos-penas no Ultimate e quem o ajudou na transição do jiu-jítsu para as artes marciais mistas. 

Após tantos anos, Marcio Pontes afirma que a amizade com José Aldo continua a mesma, inclusive se hospedando na casa do peso-pena do UFC quando está no Rio de Janeiro. De acordo com o treinador da Nova União Manaus, o que torna o campeão especial não são apenas os nocautes e finalizações ao longo da carreira, mas a humildade que o mantém com os pés no chão nos melhores e piores momentos. 

- Ao contrário do que acontece em outros lugares, eu tenho uma relação única com o Aldo, é singular mesmo, e ele ainda é o Junior que eu conheci quando ele era ainda criança. Sempre que fico no Rio me hospedo na casa dele e fico muito feliz por ver onde ele chegou na carreira. A gente trabalha para que outros lutadores como ele possam aparecer, mas, igual a ele, com a cabeça que ele tem, e chegando onde chegou, é um verdadeiro campeão e acho muito difícil de surgir outro igual - disse Marcio Pontes ao Combate.com, para depois completar:

- O Aldo é um cara muito determinado e focado naquilo que quer fazer. Se não me engano, ele ainda tem cinco lutas no contrato, vai enfrentar o Holloway no Rio pela unificação dos penas e o fã mesmo não quer que o Aldo pare agora. Mas ele almeja passos maiores, quer se experimentar em outras modalidades esportivas e acho que, para onde ele for, vai se dar bem. É muito metódico e eu o apoio em qualquer decisão. Quero acompanhar a preparação dele, prestigiar o evento e torcer pelo Aldo, que se tornou o maior ícone do esporte. É uma das maiores referências do esporte no mundo e, enfim, sou Aldo até morrer.

Aldo se tornou o maior ícone do esporte e é uma das maiores referências do MMA no mundo"
Marcio Pontes

No último domingo, Marcio Pontes esteve na edição de número 70 do Shooto Brasil, no bairro de Laranjeiras, no Rio de Janeiro, e revelou que a relação de amizade não é apenas com José Aldo. De acordo com o treinador, o intercâmbio entre seus atletas e os de Dedé Pederneiras são um trunfo para que novas estrelas do MMA brasileiro possam cruzar novas fronteiras. 

- Minha relação com o Dedé já vem de longa data e, sempre que posso, venho ao Rio de Janeiro acompanhar os atletas e até fazer um intercâmbio. Temos muitos atletas lá de Manaus treinando no CT da Nova União aqui no Rio de Janeiro. O Shooto é um dos maiores eventos de MMA do Brasil, da América Latina e que revela muitos lutadores para os melhores eventos do mundo - comentou.   

Por fim, Marcio Pontes fez questão de lembrar que as muitas qualidades de José Aldo são vistas em outros atletas amazonenses no jiu-jítsu e no MMA, como Ronaldo Jacaré, número três no ranking dos pesos-médios do UFC.

- Antes do MMA, o jiu-jítsu do Amazonas sempre foi muito forte no Brasil e reconhecido mundialmente como segundo pólo de jiu-jítsu. Posteriormente, os atletas que foram para o MMA se destacaram também. O Jacaré é um deles, mas tem outros, como o Braga Neto, Adriano Martins e a gente mostra que o Amazonas é, sim, um celeiro de exportação para os grandes eventos de MMA e a gente vai continuar trabalhando para continuar produzindo grandes atletas para o Brasil e para o mundo - concluiu.