Pesquisa MDA aponta Dilma com 43,5% das intenções de voto.

08/11/2013 12:05

Pesquisa do instituto MDA encomendada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) e divulgada nesta quinta-feira (7) mostra que, sem a presença da ex-senadora Marina Silva entre os rivais, a presidente Dilma Rousseff (PT) poderia vencer a eleição de 2014 no primeiro turno .

Na simulação em que a petista tem como adversários Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) – atualmente o cenário mais provável – ela obtém 43,5% das intenções de voto, diz o levantamento. Nesse cenário, Aécio obteve 19,3% e Eduardo Campos (PSB), que se aliou a Marina Silva, 9,5%. Segundo o instituto MDA, não haveria segundo turno se Dilma disputasse a reeleição contra esses dois adversários.

Em cenário sem a presença da ex-senadora Marina Silva, Dilma venceria a eleição já no primeiro turno, aponta pesquisa MDA

Conforme a pesquisa, 20% votariam branco, nulo ou em nenhum dos candidatos – 7,8% não sabem ou não responderam.

É a primeira pesquisa realizada pelo instituto desde que Campos anunciou aliança comMarina Silva, que se filiou ao PSB após ter o registro de seu partido, o Rede Sustentabilidade, negado pela Justiça Eleitoral.

O levantamento ouviu 2.005 pessoas entre os dias 31 de outubro e 4 de novembro em 135 municípios de 21 unidades da federação. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Efeito Marina
Em um segundo cenário proposto pelo instituto, em que Eduardo Campos é substituído por Marina Silva, a presidente Dilma registra 40,6% das intenções de voto contra 22,6% da ex-ministra do Meio Ambiente. Nesta simulação, Aécio Neves passaria para a terceira colocação, com 16,5% das intenções de voto.

O estudo aponta que, neste cenário, 14,9% dos entrevistados votariam em nenhum, branco ou nulo. Outros 5,4% não souberam ou não responderam. O instituto registra possibilidade de segundo turno se Marina for a candidata do PSB.


Neste levantamento eleitoral, o instituto MDA apurou o destino das intenções de votos que haviam sido declaradas para a ex-senadora. Conforme a pesquisa, sete pontos percentuais migraram para Dilma, quatro pontos para Campos, quatro pontos para Aécio e outros cinco pontos para brancos e nulos.

Migração de votos
No levantamento anterior encomendado pela CNT, divulgada em setembro, Marina Silva havia obtido 22% das intenções de votos em uma eventual disputa contra Dilma, Aécio, Eduardo Campos.

Eventual segundo turno
A presidente Dilma Rousseff venceria no segundo turno considerando cenários em que os candidatos são Marina Silva, Aécio Neves ou Eduardo Campos. Entre os três adversários, Dilma teria maior vantagem contra Eduardo Campos - ela venceria com 49,2% e ele ficaria com 17,5%.

Contra Aécio Neves, Dilma venceria com 46,6% contra 24,2% do tucano. Na disputa com Marina, Dilma venceria com 45,3% e Marina teria 29,1%.

Pesquisa espontânea
Na pesquisa espontânea (quando não são apresentados os nomes), passou de 16% napesquisa divulgada em setembro para 18,9% no atual levantamento. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aparece em segundo, mas oscilou de 9,7% para 7,5%. Aécio Neves que tinha 4,7% passou para 6,7%.

Marina Silva passou de 5,8% para 5,6% e Eduardo Campos, de 1,6% para 2,2%. José Serra tinha 1% e passou para 0,6%. Geraldo Alckmin foi de 0,5% para 0,2% e o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, de 0,5 para 0,1%.

Entre os entrevistados, 21,5% disseram que querem que o PT se mantenha na Presidência da República - em setembro eram 21,9%. O PSDB, em segundo, foi citado por 4,5% dos ouvidos, mesmo percentual do levantamento anterior.

 

Jornal Folha do Rio.