Ministro também usou avião da FAB para ir à final da Copa das Confederações.

05/07/2013 14:01
Ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Foto: Givaldo Barbosa / Givaldo Barbosa/25-8-201

Ministro da Previdência Social, Garibaldi AlvesGIVALDO BARBOSA / GIVALDO BARBOSA/25-8-201

 

RIO e BRASÍLIA — Para assistir à final da Copa das Confederações, no Maracanã, o ministro da Previdência, Garibaldi Alves, usou um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) na viagem entre o Ceará - onde cumpria agenda oficial - e o Rio de Janeiro. A informação foi divulgada nesta sexta-feira pelo jornal “Folha de S.Paulo”. Segundo a publicação, ao ser questionado, Garibaldi contou que deu carona a um amigo empresário e que se sentiu no direito de o avião deixá-lo “onde quisesse ficar". O ministro da Previdência também argumentou que já fez isso “outras vezes”.

 

O Ministério da Previdência Social divulgou nota na manhã de hoje sobre o assunto. A pasta afirma que o ministro precisou usar a aeronave da FAB para ir a um compromisso oficial em Morada Nova (CE), para a inauguração de uma agência da Previdência Social. O ministério destaca que Garibaldi poderia ser levado de volta para Brasília ou para Natal, onde reside, ao final deste compromisso oficial em aeronave da FAB, como está previsto em lei. Porém, segundo o Ministério da Previdência, o ministro já tinha passagem comprada em voo comercial para se deslocar de Morada Nova ao Rio de Janeiro, onde passaria o final de semana, e a aeronave da FAB o levou diretamente ao Rio de Janeiro. Ainda segundo a pasta, o ministro retornou a Brasília na segunda-feira, 01 de julho, em avião comercial.

Garibaldi é primo de Henrique Alves (PMDB-RN), presidente da Câmara, que se desculpou na quarta-feira sobre o uso indevido de outro jato da FAB. Alves reconheceu ter sido um “equívoco” ter dado carona a sete pessoas para assistir ao jogo da seleção brasileira no Maracanã no último domingo, e depositou R$ 9,6 mil na conta do Tesouro Nacional.

O presidente do Senado, Renan Calheiros também usou um avião da FAB no dia 15 de junho, para uma viagem à Bahia. Segundo reportagem do jornal “Folha de S.Paulo”, Renan teria ido ao casamento da filha do líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM).

Ontem, ao chegar ao Senado, Renan disse que usou o avião como sempre tem usado.

— O avião da FAB usado para o presidente do Senado é um avião de representação. E eu utilizei o avião, como tenho utilizado sempre, na representação como presidente do Senado Federal — disse Renan, sem querer responder se a regra vale para uso privado.

Renan disse que voou na ocasião com sua mulher, e se comparou à presidente Dilma Rousseff para justificar que chefes de poder podem usar avião da FAB, mesmo sem estar a serviço.

O decreto presidencial 4.244 de 2002 diz que autoridades, como o presidente do Senado, podem viajar em aviões da FAB nas seguintes circunstâncias: por motivo de segurança e emergência médica; em viagens a serviço; e em deslocamentos para o local de residência permanente.



Jornal Folha do Rio.