Funcef diz que recebeu doleiro preso a pedido do deputado André Vargas.

25/04/2014 16:43
 

A Funcef, fundo de pensão da Caixa Econômica Federal, divulgou nota nesta sexta-feira (25) em que diz que o diretor de Participações Societárias e Imobiliárias da entidade, Carlos Borges, recebeu o doleiro Alberto Youssef para uma reunião a pedido do deputado André Vargas (PT-PR). Youssef foi preso na operação Lava Jato, da Polícia Federal, suspeito de comandar um esquema de lavagem de dinheiro em todo o país. As denúncias de relação entre Vargas e Youssef motivaram o deputado a pedir afastamento do mandato.

Relatório da Polícia Federal sobre as mensagens trocadas entre o doleiro e o deputado André Vargas indica que a rede de contatos deles chegava à Funcef. Por mensagem, Youssef pergunta se pode falar em nome de Vargas em uma reunião na fundação. O deputado responde que sim. A PF relata que o contato de Vargas no Funcef era Carlos Borges.

Na nota, a Funcef explica que "o diretor Carlos Borges não conhecia o Sr. Alberto Youssef, mas o recebeu, na qualidade de empresário, a pedido do deputado André Vargas."

A fundação também diz que Youssef apresentou uma proposta de investimento, que não foi aceita.

"No encontro, o empresário apresentou proposta de investimento à Funcef. Entretanto, identificamos que o investimento proposto não se adequava à política de investimentos da Fundação, momento em que foi prontamente descartado", diz o texto.

Na conclusão da nota, a fundação diz que o diretor Carlos Borges conhece Youssef "conhece o deputado André Vargas em razão das funções institucionais que ambos exercem".

A Funcef ainda explica que faz parte das atribuições dos diretores receber empresários para ouvir sobre projetos, mas que "não tem parceria, negócios ou está analisando qualquer projeto com empresas vinculadas ao Sr. Alberto Youssef".

Veja íntegra da nota da Funcef:

"Nota de Esclarecimento
25/04/2014

Diretoria da FUNCEF fala sobre matérias veiculadas na imprensa citando a Fundação

Sobre as matérias veiculadas na imprensa, citando a FUNCEF e o Diretor Carlos Borges, temos os seguintes esclarecimentos:

1. O Diretor Carlos Borges não conhecia o Sr. Alberto Youssef, mas o recebeu, na qualidade de empresário, a pedido do Deputado André Vargas.

2. No encontro, o empresário apresentou proposta de investimento à FUNCEF. Entretanto, identificamos que o investimento proposto não se adequava à política de investimentos da Fundação, momento em que foi prontamente descartado.

3. Faz parte da rotina e atribuições dos Diretores, Gestores e Técnicos da Fundação atender gestores, empresários, consultores e técnicos de empresas e bancos para apresentarem seu portfólio de produtos e projetos para análises e possíveis parcerias com a Fundação. Este processo é disciplinado por normativos internos e legais que envolvem criteriosas avaliações econômico-financeiras, riscos, conformidade, jurídica, estratégia e governança, com emissão de pareceres técnicos das diversas áreas da Fundação e amplo processo negocial que suportam deliberação pelos órgãos estatutários da FUNCEF.

4.  A FUNCEF não tem parceria, negócios ou está analisando qualquer projeto com empresas vinculadas ao Sr. Alberto Youssef.

5. O Diretor Carlos Borges conhece o Deputado André Vargas em razão das funções institucionais que ambos exercem.

Nos colocamos à disposição para os esclarecimentos adicionais que se fizerem necessários.
Fundação dos Economiários Federais - FUNCEF."

 

 

 

 

Jornal Folha do Rio.