Eleição de 2014 será a mais difícil para o PT, diz Rui Falcão.

24/06/2014 10:19

O presidente do PT, Rui Falcão, disse nesta sexta-feira (20) que a eleição presidencial de 2014 será a mais difícil para o partido. Na véspera da oficialização de Dilma Rousseff como candidata do partido à reeleição, o dirigente disse que neste ano se formou o "maior bloco de forças" da história para tentar derrotar a legenda.

Acho que vai ser a eleição mais difícil primeiro porque se reuniu contra nós um bloco de forças muito poderoso"
Rui Falcão,
presidente do PT

"Acho que vai ser a eleição mais difícil primeiro porque se reuniu contra nós um bloco de forças muito poderoso que reúne setores do grande capital especulativo, reúne partidos que têm governos estaduais importantes, como Minas e São Paulo, e tem há mais de ano uma bateria poderosa de pessoas que controlam os meios de comunicação e que vêm investindo contra nós e funcionam como porta voz da oposição", declarou o petista.

A declaração foi feita após reunião do diretório nacional do PT, em Brasília, na qual os dirigentes trataram das alianças partidárias nacionais e discutiram o tom da Convenção Nacional da legenda, que será realizada neste sábado (20). Além de aclamar Dilma, o evento também vai oficializar a aliança com o PMDB, que já indicou Michel Temer como candidato a vice.

O presidente do PT disse durante entrevista à imprensa que o "bloco de forças" contrário à reeleição de Dilma "investiu contra a Copa do Mundo", torceu pela volta da inflação e distribuiu "notícias de mau agouro" para tentar desestabilizar a economia. Apesar de tudo isso, declarou o petista, a candidatura conta com "aliança forte" dos partidos aliados e tem "apoio significativo" dos movimentos sociais.

Segundo os cálculos de Falcão, no plano nacional, nove partidos apoiarão a candidatura de Dilma Rousseff: PCdoB, PDT, PP, PTB, PROS, PR, PSD e PRB e o PR, que fará convenção neste sábado para oficializar o apoio.


Falcão negou clima de "já ganhou" e disse que o partido não quer "andar de salto alto" nem começar a discutir o próximo governo. "Temos eleição pela frente e temos que respeitar o povo não antecipando o resultado".

Segundo turno
Questionado sobre se o partido está preparado para um segundo turno, Falcão disse ser "muito difícil" que o pleito seja decidido ainda em sua primeira fase. "Pode acontecer, mas não é a hipótese mais provável", afirmou.

O presidente petista ainda criticou os xingamentos que Dilma recebeu de torcedores que compareceram ao Itaquerão para a abertura da Copa do Mundo, na semana passada, em São Paulo.

"E houve quem disse que ela colheu o que plantou, meio que aprovando a atitude mal educada e de baixaria, mas acredito que estamos preparados para ganhar as eleições apresentando propostas", disse Falcão sem citar nomes.

Após os xingamentos, o candidato do PSDB à presidência, Aécio Neves, disse que Dilma "colhe um pouco aquilo que plantou nos últimos anos". O episódio deverá ser repudiado por Falcão durante seu discurso na convenção do PT neste sábado.

 

 

 

 

 

 

 

Jornal Folha do Rio.