Corpo de menino baleado em piscina do Rio vai ser enterrado nesta sexta.

23/01/2015 14:11
Asafe foi atingido quando estava com mãe na área de lazer do Sesi (Foto: Reprodução / TV Globo)Asafe foi atingido quando estava com mãe na área de lazer do Sesi.

O corpo do menino Asafe Willian Costa Ibrahim, de 9 anos, morto após ser atingido por uma bala perdida em Honório Gurgel, no Subúrbio, vai ser enterrado nesta sexta-feira (23), às 15h30, no Cemitério do Caju, Zona Portuária do Rio.

Na quinta (22), ele teve três órgãos doados após a autorização da família. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, o destino do fígado, rins e córneas do garoto não vai ser divulgado, seguindo o sigilo previsto na legislação.

A criança estava internada no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. De acordo com os médicos, a bala ficou alojada no olho de Asafe e ele passaria por uma cirurgia assim que apresentasse uma melhora no estado de saúde. No entanto, três dias depois de ser baleado, Asafe não resistiu e teve morte cerebral.


A criança foi vítima de uma bala perdida no último domingo (18), quando ele brincava na área de lazer do Sesi de Honório Gurgel. Os frequentadores do clube ouviram vários disparos, houve  correria e quando a mãe do menino viu, ele estava caído no chão do clube. Uma foto tirada pela mãe, mostra o menino minutos antes de ser baleado.

“Você nunca vai esperar eu seu filho vai ser alvejado por uma bala perdida dentro do clube. Da mesma forma que hoje aconteceu com o meu moleque, com o meu filho, pode acontecer com outras vidas também, então, a gente quer paz, a gente quer ter um lugar para morar, quer ter um lugar de sossego para que a gente possa ir e vir”, afirmou o pai do menino, Wagner Rodrigues Ibrahim.

O clube onde Asafe se divertia fica numa área cercada por comunidades e perto da vila olímpica de Honório Gurgel, onde em outubro do ano passado o traficante Celso Pinheiro Pimenta, conhecido como Playboy, e um grupo de comparsas fizeram fotos, exibindo fuzis, na piscina. O Disque Denúncia oferece uma recompensa de R$ 50 mil por informações que leve à prisão do criminoso.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Jornal Folha do Rio.