Apenas 14% das prefeituras oferecem serviço de internet sem fio, mostra pesquisa do IBGE.

03/07/2013 11:45

RIO - Ampliar o acesso da população brasileira à internet ainda é um grande desafio, segundo mostram números da Pesquisa de Informações Básicas Municipais - Munic, divulgada nesta quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O levantamento inédito pesquisou se a prefeitura garante acesso à web através de conexão via Wi-Fi (internet sem fio), seja este acesso gratuito ou cobrado e se atende a todo o município ou apenas à parte dele.
 

Ao todo, 795 municípios brasileiros responderam que a prefeitura garantia o acesso à internet via conexão Wi-Fi. Destes, 263 estão na Região Sudeste, 190 no Nordeste e 180 no Sul.

Mais municípios com página na internet

A Munic constatou que 74,5% dos municípios brasileiros tinham, em 2012, página na internet. Em 2006, esse percentual era de 48,1%. Mesmo com um número considerável de cidades com página na internet, os resultados revelam uma desigualdade regional, segundo o IBGE. A maior frequência de municípios sem página foi observada na Região Norte, com 35,6%. Já a Região Sul apresentava a menor proporção de municípios sem página (2,3%).

Ainda no que se refere ao acesso à internet, 90,5% (5.034) dos municípios brasileiros informaram desenvolver política ou plano de inclusão digital, em 2012. O número é maior do que o apresentado em 2006 (52,9%).

Confira outros pontos da pesquisa:

Cultura

As bibliotecas públicas foram, no período entre 1999 e 2012, o principal equipamento cultural existente no país. Segundo o IBGE, há uma tendência à universalização deste equipamento cultural, já que 97% dos municípios declararam ter pelo menos uma biblioteca aberta ao público. Em 1999, o índice era de 76,3%.

A pesquisa listou 19 equipamentos culturais, como teatros, museus, livrarias, etc. A prefeitura deveria apontar quais deles existiam no município. Nas cidades da Região Sudeste existiam, em média, 8,6, o melhor índice. Entre os estados, o destaque foi o Rio, com média de 12 equipamentos culturais em cada município.

Segurança e justiça

O levantamento do IBGE mostra que, no ano passado, 993 municípios tinham Guarda Municipal, o que corresponde a 17,8% do total. Apesar de a legislação que trata do uso de arma de fogo pelas Guardas Municipais prever seu uso apenas em cidades que integram as Regiões Metropolitanas, e as com mais de 50 mil habitantes, observa-se, a partir das informações coletadas nas prefeituras, que a utilização desse recurso é mais abrangente, estando presente em 153 municípios brasileiros.

Criadas a partir da Constituição Federal de 1988, as Guardas Municipais tinham como principal atribuição a proteção dos bens, serviços e instalações de seus municípios. Com o passar dos anos, suas funções foram diversificadas. Ultimamente, o efetivo costuma exercer função auxiliar na segurança pública, colaborando no patrulhamento das escolas e vias públicas e auxiliando o Conselho Tutelar e as Polícias Civil e Militar.

De acordo com os resultados da pesquisa, em 2012 havia 993 municípios com Guarda Municipal no Brasil, o que corresponde a 17,8% do total.

Meio Ambiente

A pesquisa verificou que, dos municípios que integram uma área de influência de empreendimentos com significativo impacto ambiental, 81,1% - ou 781 - dizem não ter plano de contingência ou emergência, “o que, de certa forma, expõe a população a situação de riscos”, aponta o IBGE.

Segurança alimentar

Pela primeira vez, a Munic investigou a questão da segurança alimentar nos municípios e verificou que 39,3% deles possuem estrutura organizacional para isso. O percentual de municípios que possuem Plano Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional é baixo, segundo o IBGE, alcançando apenas 17,7% das cidades.

Dos municípios brasileiros, 16,4% tinham recursos orçamentários previstos para o financiamento de políticas de segurança alimentar e nutricional, exceto contrapartidas de convênios com os governos estadual e federal.



Jornal Folha do Rio.